Assista a “Corpo, escrita e mente” no YouTube

Corpo, escrita e mente

Essa enxurrada me transborda
Essa aridez destrói o que resta
Essa inundação não me acorda
Essa insensatez quebra a aresta

O transbordar do copo ao pergaminho
A acidez do estômago após o vinho
O mal-estar do corpo, da alma, da mente,
trancam-me solitário – infelizmente.

(Majal-San) 19 08 2020

Outro cais – o papel

Quando Conta Minas - sobrecapa

 

Não vou sair dessa cama

Não vou sair desse quarto

Não vou deixar essa casa

Não vou deixar essa cidade

 

Já desocupei muitas mentes

Inclusive as que eu ainda gostaria de estar

 

Posso até não descartar essa cama

Posso até não abandonar esse quarto

Posso até não desprezar essa casa

Posso até não zarpar dessa cidade

 

Mas minha mente já partiu

Atracou a Poesia a outro papel.

                                                         (Majal-San // 06  09  2018)