Soneto Metido ao Tal

 

 IMG_7932.jpg

O teu silêncio tenta explodir meus tímpanos

Tentáculos imóveis e o meu corpo indefeso

O teu olhar oculto tenta esconder-me do fato

Fado constante em semblante teimoso – aceso

 

A tua distância está bem ali – incomoda

Incômoda ânsia, mas se não fosse, o que seria?

Sereia assassina dos meus insanos atos

Pactos impossíveis nessa tal rebeldia

 

O meu silêncio tenta esconder meu desejo

O teu beijo intenso nem que seja em sonho

Assim proponho tua voz ausente – desejo

 

A minha distância está bem aqui – diminua

O teu contexto distante do meu texto tristonho

Desse sonho quero acordar com minha boca na tua.

                                                          (Majal-San // 16.07.2018)

 

Um comentário sobre “Soneto Metido ao Tal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.